22.4 C
Americana
terça-feira, abril 13, 2021

Conheça 5 dicas para começar no mercado de games

portalpanoramahttp://portalpanorama.com
Tudo o que você precisa ler, ver e ter. Acesse e fique bem informado sobre os últimos acontecimentos e fatos de Santa Bárbara, Americana e região.

Com faturamento de mais de US$ 175 bilhões em 2020, os jogos trazem oportunidades de negócios. Compatibilidade com smartphones faz alcance dos games aumentar.

O mercado de games fechou 2020 com faturamento estimado de US$ 175 bilhões, o que representa alta de 19% em relação a 2019.

Fernando Chamis tem 15 anos de experiência no setor. A empresa que ele tem com um sócio já lançou mais de 50 jogos próprios, com milhões de downloads.

“É um mercado de muito risco – você tem que acertar o jogo que você tá fazendo, é difícil, mas por outro lado é um mercado que tem muito, muito dinheiro”, afirma Chamis.

Veja cinco dicas para entrar no mercado de games

  • Fazer jogos divertidos para que as pessoas fiquem ligados neles por um bom tempo.
  • Valorizar a importância de sua equipe.
  • Pensar no jogo para o mundo, ou seja, em vários idiomas.
  • Trabalhar o marketing do seu jogo.
  • Buscar o faturamento para que a empresa fique saudável financeiramente.

Sobre a importância da equipe, o empresário explica que cada funcionário tem um papel importante.

“Então, por exemplo, se você é um programador, você vai precisar também de um artista, que é a pessoa que vai cuidar da interface dos personagens, de toda arte do jogo e também de um game designer, que a pessoa que vai pensar na mecânica, no roteiro, e vai ser aquela pessoa que vai deixar o jogo divertido pra gente ter um bom jogo no final”, explica Chamis.

Jogos para smartphones

Uma plataforma que ajuda as pequenas empresas a lançar seus jogos é o smartphone. Com a possibilidade de jogar neste tipo de dispositivo, o alcance do jogo fica muito amplo, já que mais de dois quintos da população mundial têm este tipo de aparelho.

“Você tem que pensar em vários idiomas, você tem que pensar de uma forma cultural também, de repente um personagem que você criou pode ser ruim e algum determinado país”, afirma Chamis.

Por Pequenas Empresas & Grandes Negócios

- Publicidade -

Mais artigos

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Publicidade

Veja também