21.4 C
Americana
terça-feira, abril 13, 2021

Em Brasília, apoiadores fazem carreata por aniversário do presidente; – que aproveitou para fazer breve discurso

portalpanoramahttp://portalpanorama.com
Tudo o que você precisa ler, ver e ter. Acesse e fique bem informado sobre os últimos acontecimentos e fatos de Santa Bárbara, Americana e região.

Dezenas de carros participaram de uma carreata em Brasília em apoio e em homenagem ao aniversário do presidente Jair Bolsonaro, que fez 66 anos domingo (22). Os manifestantes buzinaram e gritaram palavras de ordem em apoio ao presidente e contra as medidas de restrição à mobilidade impostas por estados e municípios para combater o avanço da epidemia causada pelo novo coronavírus.

A concentração para o início da carreata ocorreu em frente ao Museu da República, na Esplanada dos Ministérios, região onde também ficam as sedes da Câmara dos Deputados, Senado, Supremo Tribunal Federal e o Palácio da Alvorada. Quatro das seis faixas de uma das pistas do Eixo Monumental estão ocupadas por veículos que fazem parte da carreata.

Em transmissões ao vivo da manifestação, apoiadores entoavam palavras de ordem contra lockdown, governadores que impuseram toque de recolher para conter os novos casos da Covid-19 e contra a decisão do ministro do STF, Edson Fachin, que anulou condenações ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no âmbito da operação Lava Jato e o tornou elegível.

Em breve discurso realizado em frente ao Palácio da Alvorada para apoiadores, o presidente fez menções a “tiranos” que estariam tentando tolher o direito de ir e vir do povo. Ele não disse a quem se referia, mas na semana passada, o governo federal ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para reverter toques de recolher impostos pelos governos da Bahia, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

Bolsonaro insinuou que estariam “esticando a corda”, mas que seus apoiadores poderiam contar com as Forças Armadas.

Em outro ponto do discurso, Bolsonaro defendeu sua atuação no combate à Covid-19:

“Fizemos, até o momento no combate ao vírus, não só compra de vacinas desde o ano passado, bem como o maior projeto social do mundo, que foi o auxílio emergencial. O povo precisou e nós atendemos. Agora, o povo mais pede pra mim é: eu quero trabalhar”.

- Publicidade -

Mais artigos

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Publicidade

Veja também